PUNHOS DE SERPENTE & O MESTRE INVENCÍVEL (Snake in the Eagle’s Shadow & Drunken Master, 1978)

Depois de anos participando em vários filmes de Kung Fu como figurante, coadjuvante e protagonista, Jackie Chan encontra na parceria com Yuen Woo-Ping o modo como desenvolver um estilo mais cômico de kung-fu, que havia já havia sido explorado anteriormente com SPIRITUAL BOXER em 1975 e que o tornaria famoso. SNAKE IN THE EAGLE’S SHADOW e DRUNKEN MASTER foram realizados e lançados com poucos meses de diferença e muitos dos atores participam dos dois filmes, com tramas até semelhantes. Nos dois filmes Yuen Siu Tien, pai do diretor dos filmes na vida real, interpreta um andarilho mestre do kung-fu que toma os personagens de Jackie como discípulo para que o jovem consiga ganhar principalmente maturidade e respeito das pessoas a sua volta.

PUNHOS DE SERPENTE (SNAKE IN THE EAGLE’S SHADOW)

Poucos filmes que vi do cinema clássico de wu-xia ou de kung fu tem alguma preocupação social e foco nas pessoas de classes mais baixas da sociedade no período em que retratam. Existem vários imperadores malignos e funcionários do governo opressor que servem como vilões para tramas, mas quando o filme envolve esse tipo de narrativa, mais política, quem se opõe a eles em busca de justiça são nobres dissidentes ou mestres de grandes templos, como em THE WATER MARGIN (1972) ou THE FLYING GUILLOTINE (1974) . A maioria dos filmes focam em vinganças pessoais. Em SNAKE IN THE EAGLE’S SHADOW, lançado em março de 1978, Jackie interpreta uma espécie de Cinderela de uma academia de Kung Fu. Ele trabalha como faxineiro e saco de pancadas a serviço de um professor auxiliar. Quando o professor, interpretado por Dean Shek quer demonstrar alguma técnica, que nem ele mesmo sabe como aplicar, ele chama Jackie para apanhar já que o rapaz não sabe lutar. Além de fazer aquele tipo de maldade típica de madrasta de contos de fada, pisando na areia do gato e depois no chão para que o pobre órfão limpe.

snake1

Enquanto isso, um dono de cortiço aparece cobrar o aluguel de Siu Tien, que não tem dinheiro e foge como um Seu Madruga que conhece kung-fu, desviando das pancadas dos moradores que aparecem para bater no velho (para quem sabe ganhar um desconto no seu próprio aluguel?). Os dois acabam se cruzando quando Jackie tenta ajudar Siu Tien em sua fuga. Como em DIRTY HO, em que Gordon Liu interpreta um princípe e lutador que não pode revelar a sua identidade usando uma pobre prostituta como fantoche, Siu Tien comanda os braços e pernas de Jackie para que ele acerte os golpes nos vigilantes do bairro. O velho se torna a figura paterna que o jovem nunca teve. A cena em que os dois brincam com uma tigela de porcelana é bem bonita e interessante. Os filmes da Venom Mob, por exemplo, já utilizavam de acrobacias bem elaboradas em suas cenas de lutas, deixando-as bem próximas de uma dança. Um bom exemplo é o fim de CRIPPLED AVENGERS com um clímax circense. Em SNAKE IN THE EAGLE’S SHADOW e depois em DRUNKEN MASTER algumas cenas também fogem um pouco do combate para explorar a arte marcial mais próxima da dança e do teatro, complementando o tom cômico presente principalmente na relação entre Jackie e Siu Tien.

RIVALIDADES

Existem duas tramas que caminham juntas com o aprendizado de Jackie no kung-fu. O estilo que ele aprende é chamada de punho da cobra e no começo do filme somos apresentados a um mestre homicida que domina o estilo da garra de águia e que pretende matar todos os praticantes do estilo anterior. Por pura rivalidade. Outra contenda acontece entre a academia em que Jackie era servente e a de Fung Ging (que em DRUNKEN MASTER será de novo um vilão e rival do pai de Jackie).

snake2

As duas academias disputam por um tempo a atenção de um magistrado para ver em qual delas o filho obeso e mimado do homem vai “treinar”. Essa tipo de conflito, a rivalidade entre estilos ou escolas, serve de pano de fundo para vários filmes do gênero, assim como a clássica hostilidade entre chineses e japoneses, fruto de várias guerras e conflitos entre os países durante séculos de história.

A disputa entre os estilos deixa o treinamento mais interessante porque como um estilo deve derrotar o outro, o lutador deve procurar saídas e contragolpes pensados nos ataques de seu oponente, como se criasse uma espécie de antídoto. Modos para quebrar suas barreiras. A águia, o estilo de Hwang Jan Lee (o vilão) nesse filme, é um predador natural da cobra, o estilo de Jackie e de Siu Tien. E Hwang também sabe o estilo da cobra. Como Jackie então poderia derrotar o homem que ameaça a vida de seu mestre?

Num determinado momento do filme Jackie volta para seu quarto na academia onde mora para pegar um livro que o velho deixou para ele estudar. Lá ele encontra o livro rasgado e presume que foi seu gato de estimação que o rasgou. Mas onde está o gato? No canto do quarto o bichano está sendo atacado por uma cobra naja! Jackie observa a luta entre os dois animais (com direito a closes das patas do felino) com gritos de incentivos e dando patadas no ar. Uma atitude completamente normal para qualquer um que ama seu pet. No fim o gato acaba vencendo a cobra porque “suas patas são afiadas”. É o estilo do gato que Jackie cria a partir de seu estilo da cobra para vencer o vilão do filme.

snake3
Não é preciso procurar informações de bastidores para presumir que as presas da cobra foram arrancadas e o gato é flagrado visivelmente amarrado em alguns takes. Uma cena desnecessária já que os dois animais foram colocados para brigar como numa rinha. Não é uma cena que foi capturada com animais matando em seu habitat, como em documentários sobre a vida selvagem. A cena foi cortada quando o filme foi lançado na Inglaterra por exemplo, e por mais que seja um momento de revelação para o personagem principal serve mais como curiosidade bizarra para entrar na seção dos galos e galinhas maltratados de PINK FLAMINGOS, COCKFIGHTER, ENTER THE NINJA e EMPEROR OF THE NORTH POLE e felizmente não se repetir.

OUTRAS “SURPRESAS”…

1) A notável participação de um ator ocidental fazendo um padre que inicialmente parecia servir como alívio cômico em determinadas cenas, parodiando a insistência desse tipo de missionário batendo na porta dos cidadãos chineses querendo convertê-los na base do dedo na cara. Até chega a ser convidado a entrar num bordel. Mas o homem se revela um dos capangas de Hwang Lee, com o intuito de matar o velho Tien. O padre é interpretado por Roy Horan, que participaria de outros filmes B como a picaretagem que foi o segundo GAME OF DEATH (não que o primeiro também não seja uma bagunça). E que seria lembrado no Youtube pela sua interpretação exagerada quando é “morto” por Jackie.

2) A música. Diferentemente do que seria o comum, e até óbvio, como escolha para a trilha sonora de um filme de época, com instrumentos e percussão oriental, o filme tem como temas principais, Magic Fly, da banda italiana de pós-disco. Além de Space e Oxygène Part II do também usuário de “sintetizadores intergaláticos”, Jean Michel Jarre. Não é comum esse tipo de apropriação de músicas tão fora dos padrões de música incidental em filmes de kung-fu, mas temos outros exemplos como THE MASTER OF FLYING GUILLOTINE, com trechos de músicas da banda de kraut-rock, “Neu!”, e THE WATER MARGIN com a sua abertura ao som de Salisbury da banda de rock progressivo Uriah Heep.

3) Na luta final, de Jackie contra Hwang Lee, logo no início, sem uma justificativa visível dentro do contexto do filme o nosso protagonista aparece sem um dente da frente. Jackie termina um movimento com uma pose e sem muita cerimônia mostra a janela que ganhou do companheiro, resultado de um chute mal calculado num erro de gravação. Não sei bem porque não incorporaram esse ferimento na luta em si, aproveitando até da comicidade de ver Jackie lutando sem um dente. Talvez pensaram que não seria visível no resultado final. Quando, provavelmente, viram o copião da cena no dia seguinte Jackie já deveria estar de ponte.

snake4

4) Por fim, quando Jackie ainda está sobre o corpo ainda quente do vilão que acabou de matar com seus miados e golpes de dedos, o cozinheiro da academia aparece para matar os heróis. Algumas cenas atrás ele havia colocado um pó na bebida do velho e do aprendiz, o que se traduz como uma tentativa de envenenamento. Mas nada acontece a eles depois de terem bebido o chá. O que Jackie revela ao estupefato cozinheiro traira e que como ele e o velho não gostam de chá quente, ele despejou o chá que o cozinheiro lhe deu numa vasilha e pegou outro chá mais frio. Espero que o gato, depois de ter matado uma cobra a patadas não tenha bebido aquele chá! Esse gancho, comum em filmes de suspense, em que algo aparece para surpreender o público já desarmado com a resolução do conflito principal nunca cai muito bem. Por mais que você seja fã, como eu, de DURO DE MATAR difícil achar que a cena em que o pobre Powell tem que voltar a matar como algo indispensável para o filme. Essa cena se traduz como um homem que só recuperou seus colhões porque teve coragem de voltar a disparar contra alguém. Dá pra justificar como o fim do arco do personagem mas isso também acontece no final de MÁQUINA MORTÍFERA e vários outros.  Uma saideira.

diuntitled
Sgt. Powell

Mesmo com todas essas bizarrices, e  por causa delas, acho SNAKE IN THE EAGLE’S SHADOW um filme mais interessante e divertido que DRUNKEN MASTER. As tramas são mais bem amarradas e é mais interessante ver o crescimento do personagem de Jackie aqui. Há mais peso às decisões dos personagens. DRUNKEN MASTER é mais popular pelo estilo do bêbado mas não chega aos pés da magistral sequência temática, THE LEGEND OF THE DRUNKEN MASTER de 1994 com Jackie no auge da fama e prestes a explodir na América.. Mas DRUNKEN MASTER não deixa de ser um bom filme. Vamos a ele.

O MESTRE INVENCÍVEL (DRUNKEN MASTER)

O filme abre com Hwang Jang, mantendo o bigode mas com um penteado mais moderno, como um assassino de aluguel lendo seu próximo contrato. Ele cumpre o contrato executando um homem que treinava em isolamento. Na cena seguinte somos apresentados ao personagem interpretado por Jackie. Um rapaz insolente e que apronta com o professor da academia (Dean Shek) em que estuda porque sabe é um lutador melhor e seu pai é o mestre da academia. Depois Jackie se aproveita de uma moça que estava fazendo suas compras na rua. A mãe dela aparece para dar uma lição no rapaz que foge para depois arrumar mais confusão. Jackie defende um pobre homem, humilhado por um rapaz rico e esnobe que quebra sua valiosa jade. Mas o lutador exagera na dose.

drunkenmaster1978233621

Mais tarde seu pai se reúne com a mãe e a filha que Jackie brigou e bolinou respectivamente, e que na verdade são tia e prima do garoto. Quando o homem descobre decide descer o couro no garoto, mas a tia intervém. Não dá nem tempo da mulher tentar defender o garoto que o rapaz que Jackie bateu mais cedo parece todo enfaixado com seu pai procurando uma satisfação. Não há maneira de corrigir o rapaz. Depois de sofrer algumas torturas na mão de se pai e de Dean Shek, ele deve ser levado para ser treinado com o temível Huai Chi (Siu Tien). Mas Jackie escapa com ajuda de seu amigo sardento, o mesmo magrelo que perpetua uma das sovas que Jackie toma em SNAKE IN THE EAGLE’S SHADOW. Faminto e sem dinheiro Jackie se senta com um homem rico que comia sozinho. Jackie choca seu companheiro com os seus modos a mesa como Chaplin em THE IMMIGRANT. Quando Jackie se mostra sem dinheiro todo mundo parte para porrada. Siu Tien aparece com os mesmos trejeitos do filme anterior para ajudar o rapaz a fugir do restaurante.

drunkenmaster116wb0

TRAMBIQUEIROS

Em filmes de comédia, seja a mais ácida ou um pastelão, esse tipo de atitude influencia no quão engraçado pode ser uma cena, porque o espectador pode questionar a moralidade dos personagens. O quanto eles usam sua sagacidade para sair de situações de perigo ou para  simplesmente passar a perna em alguém. Nos filmes de Chaplin como o que citei antes é comum ver que Carlitos se mete em problemas quando está com fome. Somos simpáticos a sua causa. Deste lado, mais inocente, também estariam aqueles personagens tão tapados que é difícil culpá-los pelos problemas que arranjam. O outro lado da moeda acontece no caso dos irmãos Marx em que não há limites para sacanagem porque não existem consequências para qualquer ofensa que saia da boca de Groucho. Assim como Pernalonga e Frangolino. Há um limite para esses anarquistas? Quem nunca quis que o Pica-Pau tomasse uma bela sova do Leôncio?

frangolino_cachorro
Um verdadeiro filho da p*ta.

Esse longo parêntese serve para comentar que no caso deste personagem de Jackie, é difícil simpatizar com sua motivação, porque na verdade ele não tem nenhuma. Senão provar que pode vencer qualquer um numa briga. Ele a todo momento tenta fugir dos treinamentos de Siu Tien. Mas se volta ao mestre quando apanha do assassino de aluguel do filme e se sente humilhado. Depois de ter completado seu treinamento no estilo do bêbado, Jackie resolve por fim a uma rixa resultante de uma confusão numa mesa de apostas. Ele aparece num casamento para esfregar a cara do anfitrião (um mestre no bastão) numa pilha de fezes. É engraçado. Mas é só. Não há muito enredo no fim por conta dessa sucessão de episódios. Jackie não se redime e vira um homem maduro como se espera já que esse seria o propósito de seu treinamento. No fim o assassino que o humilhou tem um agora um contrato para matar seu pai. Jackie aparece e salva o dia aplicando as técnicas que aprendeu com Siu Tien. Mas o fato de estar bêbado não acrescenta tanto. Algo que Jackie levaria à perfeição no filme de 1994, usando a embriaguez no modo como ataca e como apanha ignorando a dor.

O ESTILO BÊBADO

Numa cena o mestre do bastão aparece na casa de Siu Tien para dar o troco pelo amigo trambiqueiro. Mas o mestre está sofrendo da abstinência do seu querido vinho de arroz e suas mãos tremidas não conseguem bloquear os ataques do homem do bastão. Jackie descobre que esse é o segredo do velho e pede então para aprender essa técnica entorpecente. O estilo existia antes do filme, chamado Zui Quian e o praticante na verdade não deve estar realmente embriagado. Um dos fundamentos básicos do kung fu, se não o mais importante, está na postura e no equilíbrio que o praticante deve ter quando em combate.

drunken-master-4

As bases praticadas dentro de katis, as sequências de movimentos, servem para dar firmeza e fluidez aos golpes. O princípio do estilo do bêbado seria então tirar o oponente da sua base e procurando aberturas com o corpo num movimento continuamente fluido. Leveza na postura e força momentânea nos golpes. No filme, Siu Tien ensina o kati de oito deuses bêbados da tradição Daoista. Cada um com uma peculiaridade no modo como os movimentos são realizados. Jackie apresenta todos os estilos separadamente no filme para depois aplicá-los no confronto final. O mais interessante dentro desses katis é o uso do solo. Ele cai com os braços junto ao corpo num movimento suave mas seco como se estivesse desligando o corpo. Em outro, dá um mergulho usando somente a cabeça como apoio no chão para virar um mortal para frente. Enfim. Há mais espaço para o treinamento em DRUNKEN MASTER em relação a SNAKE IN THE EAGLE’S SHADOW porque a relação entre Jackie e Siu Tien é de mestre e aprendiz. Quando se conhecem inclusive, Jackie, como o jovem Skywalker, não acredita que aquele velho baixinho é, na verdade, um grande (e alcoólatra) mestre do kung-fu.

Pontos Fracos: A fotografia e a direção de arte dos filmes é bem pobre. As artes dos dvds dos filmes, medonha!

Pontes Fortes: Os filmes são engraçados, divertidos, tem sequências criativas e os treinamentos sempre valem a pena. A rivalidade das escolas é um mote que acontece nesse tipo de filme sempre é interessante.

Conclusão: Os filmes não são tão bem elaborados, violentos e pungentes de uma produção da Shaw, mais classuda, ainda assim são a gênese do maior ator de artes marciais de todos os tempos. Desculpa Bruce…

Gostou do conteúdo? Seja o nosso patrão! Yippee Ki Yay, Motherfucker!

Adicione um comentário

Deixe uma resposta