Dissecando FLORENTINE – Parte 2: SAVATE (1995)

SAVATE é segundo longa de Isaac Florentine. Numa comparação com seu trabalho anterior, podemos dizer que este aqui é bem mais otimista em relação ao futuro do diretor, já que seu filme de estreia, DESERT KICKBOXER, não é lá grandes coisas, embora tenha seus momentos, mas não demonstra tanto potencial. Antes só havia feito um curta que quase ninguém viu, FAREWELL TERMINATOR, realizado ainda em seu país natal, Israel. Mas em SAVATE já temos um dos elementos mais importantes da natureza de Isaac Florentine como diretor sendo trabalhado de maneira bem eficiente: a PANCADARIA! Uma das vantagens aqui é a presença do ator francês Olivier Gruner, que está longe de ser um grande ator dramático, mas possui mais habilidades em artes marciais do que John Newton, com chutes incríveis, rápidos e boa presença. Juntando a vontade do diretor em realizar muitas sequências de luta, com um ator que sabe lutar, o resultado não seria menos do que uma boa diversão.

Mais uma vez, Florentine utiliza cenários diferenciados para narrar seu filme de porrada. Se FAREWELL TERMINATOR transcorria num mundo pós apocalíptico e DESERT KICKBOXER, como o título já diz, se passa quase totalmente num deserto, a história de SAVATE é contextualizada no oeste americano do seculo XIX. Ou seja, é um autêntico híbrido de western com artes marciais. Na verdade, o filme é inspirado em história verídica deJoseph Charlegrand, o primeiro lutador de kickboxer do mundo! Claro que isso não tem a menor importância, porque dificilmente vamos comprar a ideia de que o primeiro lutador de kickboxer realmente viveu o que o protagonista de SAVATE vive.

Charlegrand é um oficial francês (Gruner) que veio parar nos Estados Unidos , em pleno “velho oeste”, em busca do assassino de seu melhor amigo. Acaba conhecendo um casal de irmãos que tem problemas com um figurão da cidade, R. Lee Ermey (o sargento Hartman de NASCIDO PARA MATAR), que quer comprar as terras de todos os fazendeiros a qualquer custo, fazendo ameaças com seus capangas… a mesma história de sempre. E o nosso herói resolve ajudar. Por fim, acaba entrando num torneio de luta, ao estilo dos filmes do Van Damme (com habilidades de cada lutador de acordo com a origem de seus países) onde enfrenta o seu “objeto de vingança”, vivido pelo grande Marc Singer. No elenco ainda temos James Brollin, como um oficial corrupto, e a belezinha Ashley Laurence (de HELLRAISER), como possível par romântico do protagonista.

SAVATE foi lançado direto no mercado de vídeo, quando o gênero “kickboxer movie” já estava entrando em decadência. Mas com um elenco desses e uma história bem contada e movimentada, cujas cenas de ação e pancadaria surgem organicamente a cada cinco minutos, só poderia resultar em pura diversão. Tem suas falhas, obviamente, é cheio dos mais diversos clichês, atuações fracas e exageradas, roteiro forçado e meia boca, mas tudo isso dá ao filme aquele charme a mais, um sabor de tralha que os amantes de cinema classe B sabem admirar.

Gostou do conteúdo? Seja o nosso patrão! Yippee Ki Yay, Motherfucker!

Adicione um comentário

Deixe uma resposta