GUERRA NAS RUAS (2017) | REVIEW

Além da merecida importância creditada ao longa em si, o lançamento de NEW JACK CITY de Mario Van Peebles – e posteriormente, numa menor escala, o de OS SAQUEADORES de Walter Hill – influenciou uma vasta quantidade de filmes de ação “urbanos” vindos dos Estados Unidos durante os anos 90. No geral, essas produções eram feitas com um orçamento bem baixo e co-estreladas por nomes famosos do rap e do hip-hop. Isso quando eles não apareciam em pequenas participações ou simples pontas apenas para garantir um lucro no aluguel em vídeo.

O próprio Ice-T, protagonista dos 2 filmes citados acima, garantiu presença em grande parte deles, seja como um dos personagens principais ou em pontinhas pra lá de safadas. Antes de entrar na série LAW AND ORDER – SPECIAL VICTIMS UNIT (que está em sua 17a. Temporada), era muito comum ver o velho Ice em filmes que não tinham a menor vergonha de serem sujos, baratos e, diversas vezes, extremamente ingênuos. E foi com curiosidade que recebemos GUERRA NAS RUAS (Lady Rider aka Checkmate, 2017), um lançamento dos parceiros da A2 Filmes através do selo Focus Filmes, cujo espírito é o mesmo desses pequenos filmes independentes de gangues que eram adquiridos por quilo pelas distribuidoras nos bons tempos das locadoras de VHS.

Essa joinha conta a história de um policial 100% bom e honesto, Detetive Manny Rodriguez (Alex Maisonette, também roteirista, produtor e diretor), que precisa combater a guerra entre duas gangues lideradas por Flash (Fat Joe, o músico famoso em participação especial) e pelo motoqueiro Bruno (Matthew L. Imparato). Enquanto isso, ele ainda tenta escapar das armações do corrupto Sargento Rivera (Damien Borges) e ainda consegue tempo para investigar os assassinatos cometidos por vingança pela misteriosa Lady Rider (Christine Borges).

Talvez o leitor perceba que a narrativa é bem problemática apenas por essa tentativa de se fazer uma sinopse. Mas dependendo de seu humor e relação com filmes do tipo, GUERRA NAS RUAS pode se tornar uma excelente diversão. As atuações cafajestes, as falhas constantes de produção e pós-produção, a direção de arte nula, os tiroteios vergonhosos, alguns dos piores (d)efeitos de computação já criados através de softwares como o After Effects, os dublês de corpo que usam para as cenas que filmaram sem o Fat Joe, o excesso de vezes em que os personagens falam com os outros pelo telefone e a cena de castração cinematográfica mais desleixada e hilariante que esse que vos escreve já testemunhou são algumas das coisas que podem fazer com que esse filme ganhe o coração do fã de uma boa tranqueira.

Em tempos onde cada vez mais assistimos a produções que fazem graça o tempo todo de si mesmas e não tem graça nenhuma, Alex Maisonette realiza o impossível: entregar um filme repleto de momentos em que a completa inépcia e ingenuidade andam de mãos dadas por toda a sua duração em pleno 2017. Anotem esse nome!!

GUERRA NAS RUAS está disponível para ser assistido em DVD e nas melhores plataformas de streaming, como o Looke, Now e Google Play.

Gostou do conteúdo? Seja o nosso patrão! Yippee Ki Yay, Motherfucker!

Adicione um comentário

Deixe uma resposta