KING: UMA HISTÓRIA DE VINGANÇA (2016) | REVIEW

O diretor Fabrice Du Welz ficou famoso como integrante da geração que deu uma revitalizada no cinema de horror francês nos anos 2000. Com dois longas, CALVAIRE (2004) e VINYAN (2008), Welz se tornou um nome respeitado no gênero e adquiriu uma fama internacional. Ele ainda voltaria ao gênero em ALLELUIA (2014), que dividiu público e crítica, e no mesmo ano faria seu primeiro filme de ação: COLT 45, que teve uma repercussão mediana. Agora, ele retornou ao gênero em KING: UMA HISTÓRIA DE VINGANÇA, uma produção do Netflix estrelada por Chadwick Boseman, o Pantera Negra da Marvel. Também estão no elenco Teresa Palmer, Luke Evans e Alfred Molina.

Um thriller de vingança, o filme conta a história de Jacob King, um sul-africano que chega a Los Angeles para procurar a irmã que não vê há alguns anos, e acaba não a encontrando no endereço que tinha. Depois de fazer perguntas e começar a desconfiar que algo está errado, alguém o sugere que procure no necrotério. E ao fazê-lo, descobre que a irmã realmente está morta, e com muitos sinais de violência. Tomado pelo ódio, ele resolve investigar o que aconteceu para, finalmente, punir os responsáveis.

Resultado de imagem para Message From the King

Com um ritmo lento e envolvente, o longa lembra o cinema dos anos 70, como o clássico ROLLING THUNDER, por exemplo. Welz também traça um retrato bem pessimista de Los Angeles, explorando o lado mais decadente e podre da cidade, o que é evidenciado em um diálogo entre Boseman e Teresa Palmer no hotel. A fotografia, a direção de arte, e até as locações passam uma atmosfera suja e desesperançosa. O tom sério, seco e sem alívios cômicos também contribuem para isso.

Com relação a ação, ela fica restrita a poucas cenas, pois o filme investe mais no thriller na maior parte do tempo. Infelizmente as raras cenas de ação são apenas medianas, com coreografias pouco inspiradas e uma montagem que faz com que não vejamos alguns detalhes claramente. Welz ainda precisa de mais experiência para ser considerado um verdadeiro diretor de ação.

Resultado de imagem para Message From the King

Por fim, o que fica de mais memorável são as atuações de Chadwick Boseman e Luke Evans. O primeiro encarna um protagonista silencioso, mas que passa muito com expressões. A cena em que seu personagem acha o corpo da irmã é o momento em que ator atinge seu auge, demonstrando toda a dor e revolta que seu personagem sente. Evans, por sua vez, encarna um tipo carismático, mas que esconde algo de podre abaixo dessa fachada. E o ator passa isso de forma competente, incorporando as várias facetas de seu personagem, em mais uma boa performance de sua carreira.

Um bom e interessante filme, KING: UMA HISTÓRIA DE VINGANÇA, é mais um acerto de Welz, mas poderia ser mais memorável se tivesse mais violência gráfica e cenas de ação melhor construídas. Mas apesar disso, é uma produção acima da média, e deve ser assistido. O filme já se encontra disponível na Netflix Brasil.

Gostou do conteúdo? Seja o nosso patrão! Yippee Ki Yay, Motherfucker!

Adicione um comentário

Deixe uma resposta