KITE – ANJO DA VINGANÇA (2014) | REVIEW

Em um futuro distópico, com a economia mundial quebrada, o crime e a corrupção reinam soberanos. Sawa (India Eisley), uma jovem órfã que teve os pais assassinados, surge nesse cenário como anjo da vingança. Seu pai era um policial e seu ex-parceiro, Karl (Samuel L. Jackson), começa a cuidar da garota, transformado-a numa assassina letal. Seu alvo principal é Emir (Zane Meas), o homem que matou seus pais e chefe de uma organização de tráfico humano, mas para chegar a ele, muito sangue ainda tem que rolar. É nessa jornada de violência e vingança que Sawa conhece Oburi (Callan McAuliffe), um garoto da sua idade que tem segredos sobre o seu passado a serem revelados.

Baseado num anime japonês extremamente brutal e erótico dos anos 90, KITE – O ANJO DA VINGANÇA é uma produção americana (com dinheiro mexicano envolvido) filmada em Joanesburgo, África do Sul. O longa foi uma grata surpresa porque depois do seu lançamento em 2014, nunca mais se ouviu falar uma só palavra sequer do filme e praticamente todas as reviews espalhadas pela internet o maltratam sem piedade. Mas eis que me deparo com uma pequena jóia subestimada que merece uma chance.

KITE me surpreendeu especialmente pelo visual refinado, que definitivamente tem um gosto pelos filmes de ação de ficção científica dos anos 80 e 90, com seus cenários de destruição e podridão. Pense num rip-off de BLADE RUNNER de baixo orçamento, ou coisas do tipo que um Luc Besson ou até mesmo Albert Pyun faria nos anos 90 (como NEMESIS), e já dá pra ter uma noção do tom do visual de KITE. É realmente o que me fisgou, um trabalho hipnótico com essa aparência familiar de futuros distópicos da velha escola do cinema sci-fi noventista.

A direção é do sul-africano Ralph Ziman e olhando a carreira do sujeito percebe-se porque o resultado pictórico do filme chama a atenção. O cara já era um veterano de videoclipes dos anos 80 e 90 e essa linguagem plástica, com um excelente trabalho de fotografia, direção de arte, luz e contraluz, cores e enquadramentos carregados de informações visuais driblando com criatividade a falta de recursos de um orçamento limitado, é bem típica desse tipo de produção. E o resultado aqui, pelo menos visualmente, é fantástico. Não foi à toa que recebeu alguns prêmios pela fotografia em alguns festivais que participou.

KITE é dedicado a David R. Ellis (dos divertidíssimos SERPENTES A BORDO, também com o Samuel L. Jackson, e PREMONIÇÃO 2), que seria o responsável pela direção. Infelizmente, ele faleceu durante a pré-produção do longa em 2013. Ziman assumiu já com o bonde andando.

O filme é bem simples na sua proposta de narrar essa fábula futurista onde uma garota de rosto angelical mata brutalmente alguns sujeitos que participaram do assassinato de seus pais. E India Eisley faz um ótimo trabalho como Sawa, que tem essa combinação de inocência sedutora e violência intrínseca. Bela e mortal, uma mistura sedutora. Só nas cenas de ação é que destoa um bocado, percebe-se que a moça não leva muito jeito para sequências mais movimentadas.

Vale destacar um Samuel L. Jackson badass. Todos os seus momentos em cena elevam o filme a outro patamar. O cara parece estar se divertindo com esse papel de policial durão que investiga as mortes da própria pupila. Uma das coisas mais interessantes de KITE é a dinâmica entre esses dois personagens, com Jackson tendo que acobertar os vestígios criminais de Sawa, enquanto ela, dependente química, precisa de seu tutor para lhe trazer uma droga sintética futurista qualquer…

Consigo entender porque os adeptos do anime ficaram pra baixo. Para quem conhece a fonte original, KITE é bastante suavizado nessa versão cinematográfica, removendo quase toda a tonalidade sexual do anime, apesar de ainda conter um bocado da violência. Isso significa que existe uma grande diferença entre o desenho e a essa live action, algo que os fãs podem não gostar. Só não consigo enxergar porque a produção foi tão massacrada por quem só queria ver um filme simples de vingança. Claro, não é um filme perfeito ou memorável, o enredo tende a ser um pouco previsível, e nunca realmente explora nenhum dos personagens com a devida profundidade. Mas tem qualidades suficientes para prender a atenção e é bastante movimentado. Além de só possuir 90 minutos de duração! Tem muita coisa pior, maior e mais cara sendo celebrada por aí…

KITE – O ANJO DA VINGANÇA foi lançado em junho no Brasil pela A2 Filmes, através do selo Flashstar, e está disponível em DVD para compra. E, sem preconceitos, é um filme divertido que vale a conferida.

Gostou do conteúdo? Seja o nosso patrão! Yippee Ki Yay, Motherfucker!

Adicione um comentário

Deixe uma resposta