REVIEW: TC 2000 (1993)

Resolveram chutar o pau da barraca com este TC 2000. Escalaram um elenco que é simplesmente a essência do cinema B de ação dos anos 90! Billy Blanks, Bolo Yeung, Jalal Merhi e Matthias Hues num mesmo filme, em pleno auge dos “kickboxer movies“, é de fazer chorar qualquer um que cresceu assistindo ao ciclo de filmes de luta do período. Tá certo que TC 2000 copia na cara dura vários elementos já vistos em diversos filmes de ação e ficção cientítifica, mas a diferença é que os filmes copiados não possuem estas quatro figuras simpáticas trocando desaforos a cada 5 minutos! Billy Blanks e Matthias Hues, por exemplo, caem na porrada com menos de 15 minutos de projeção! Não tem como não se emocionar…

tc 2000

O ano é 2020. Uma catástrofe natural fez com que a parcela rica da população fosse viver nos subterrâneos, enquanto o restante da população, na superfície, mastiga o pão que o diabo amassou. Tirando esse pano de fundo, o que sobra para a trama é algo muito complexo, inteligente e difícil de acompanhar… Sim, estou sendo irônico! Na verdade, é uma baita confusão, cheia de personagens e situações que só servem mesmo para criar ação e pancadaria a todo instante.

Billy Blanks é um TC 2000, espécie de policial que faz a proteção contra os invasores da superfície. Jalal Merhi é o lider de uma gangue do exterior que tenta invadir o subterrâneo. Matthias Hues também é um TC 2000, mas é óbvio que não está do lado do bem e não vai com a cara do Blanks. E Bolo Yeung, num de seus raros papéis não sendo vilão, é um famoso lutador que vive na superfície e une forças com Blanks para derrotar os malvados… E por aí vai.

tc 2000

A trama mesmo não importa. O que vale é a truculência, e isso TC 2000 tem de sobra. Com direito à frases de efeitos e certos descuidos que deixam o filme ainda mais divertido. Como por exemplo um capanga da gangue de Merhi, cuja habilidade principal é o manejo com uma faca que fica rodando na mão. O cara morre no início do filme, mas parece que os realizadores se esqueceram disso, e pouco tempo depois estava ele de novo rodando aquela faca pra cima do Bolo Yeung.

As sequências de lutas não são de encher os olhos. Mas até que para o tipo de produção, dá pro gasto! O mais esperado duelo da bagaça, Bolo Yeung contra Matthias Hues, no gran finale, poderia ser melhor, mas já é algo histórico para os fanáticos do gênero.

tc 2000

Mas é Blanks quem rouba as cenas de luta. Até mesmo quando confronta um simples meliante o sujeito sabe fazer o seu espetáculo de chutes na cara. Já Merhi faz lá sua graça. A direção é por conta de um tal de T. J. Scott e não é ruim, embora tente uns movimentos de câmera desnecessários em algumas cenas de ação.

TC 2000 foi lançado em VHS no Brasil com esse mesmo título. Nem preciso dizer que só é recomendável para os iniciados em tralhas desse tipo, né? O filme, na verdade, é uma porcaria se levado à sério. Com grave risco do sujeito terminar a sessão com uma úlcera no estômago.

Gostou do conteúdo? Seja o nosso patrão! Yippee Ki Yay, Motherfucker!

Adicione um comentário

Deixe uma resposta