VINGANÇA FATAL (Falcon Rising, 2014) | REVIEW

Se em 2010 VELOZES E FURIOSOS 5: OPERAÇÃO RIO fez um retrato um tanto quanto ficcional da Cidade Maravilhosa, o que temos aqui faz a obra-prima (sim) de Vin Diesel e sua trupe parecer um documentário.

John “Falcon” Chapman (Michael Jai White, de O IMBATÍVEL 2 e BLACK DYNAMITE) é um veterano de guerra que sofre de estresse pós-traumático, que passa os dias a beber e praticar roleta russa (sim), testando sua sorte, como que na expectativa de que cada nova manhã seja a sua última.

Ele tem uma irmã mais nova, Cindy (a ex-boxeadora Laila Ali, filha do lendário Muhammad Ali), que está no Rio de Janeiro, realizando trabalhos de caridade em uma favela. Quando recebe a notícia que a moça foi atacada, “Falcon” vai para o Rio, onde reencontra seu velho colega de exército Manny Ridley (Neal McDonough), agora um diplomata na Embaixada Americana. Manny o apresenta para a policial Katarina Da Silva (Millie Ruperto), que era amiga de Cindy, que o leva até o local. Conheceremos também os policiais corruptos Thiago Santo (Jimmy Navarro) e Carlo Bororo (Lateef Crowder, o capoeirista de O PROTETOR, de Tony Jaa). Aos poucos, “Falcon” descobrirá que sua irmã descobriu uma trama envolvendo corrupção policial, prostituição infantil e a YAKUZA nas favelas cariocas.

Reparem nos nomes dos personagens. Estranho, né? Notoriamente, a noção de português dos roteiristas do filme foi tirada de quadrinhos Marvel dos anos 80 e de videogames japoneses da mesma época. Absolutamente nada na retratação da favela (que em momento algum ganha um nome) ou da cidade é legítimo. O uniforme da PM carioca, assim como seus veículos, está errado (eles dirigem Kias!). Nenhum dos “brasileiros” fala português, todas as falas foram memorizadas foneticamente e os termos utilizados são apenas tradução de jargões da cultura inglesa.

A Yakuza? “O Brasil tem a maior população japonesa fora do Japão”, alguém diz no filme. É verdade, aparentemente. Só esqueceram de dizer que eles estão em SÃO PAULO!!

Com tudo isso contra, o que dizer? Que VINGANÇA FATAL (ou mesmo Favela, outro título que o filme pode ser encontrado) é um dos melhores filmes ruins feitos nos últimos anos. Michael Jai White atua melhor do que material pede, Ernie Barbarash (de JOGOS LETAIS e 6 BALAS, ambos de Jean Claude Van Damme) mantém um bom ritmo e as coreografias das cenas de luta são boas. A câmera é bem amadora em alguns momentos – como na cena em que Bororo (Crowder) duela na capoeira contra um traficante – mas no geral o trabalho é bem eficiente. Fora que o filme é tão absurdamente mal situado, tão cheio de erros, que é impossível não se divertir.

Chame os amigos, peça uma pizza, abra uma cerveja. VINGANÇA FATAL vai fazer você gargalhar pelos motivos errados e ainda vai preencher o vazio da sua existência com socos e pontapés.

Gostou do conteúdo? Seja o nosso patrão! Yippee Ki Yay, Motherfucker!

2 Comentários

Deixe uma resposta

  • Hehehe, eu curti bastante esse filme, puta luta do MJW com o Lateef.

    Mas rapaz, eu mudaria aquela parte do texto que tu diz que os 2 policiais são corruptos, pois isso só é revelado um tanto quanto tarde e até surpreende, então pode ser considerado spoiler, né?