WHEELMAN (2017) | REVIEW

Frank Grillo, desde que coadjuvou nos filmes GUERREIRO (Warrior, 2011) e A PERSEGUIÇÃO (The Grey, 2011) vem enfileirando uma série de papeis de destaque em sua carreira. Após protagonizar as continuações da franquia UMA NOITE DE CRIME (The Purge), participar dos filmes do CAPITÃO AMÉRICA como o vilão Ossos Cruzados e ainda atuar na série de TV KINGDOM (que, infelizmente, só teve três temporadas), Grillo continua mostrando sua veia badass em vários tipos de produção. Sua mais recente empreitada é o filme WHEELMAN, de sua produtora WarParty Films, em parceria com Joe Carnahan, que o dirigiu no citado A PERSEGUIÇÃO.

A trama, escrita e dirigida por Jeremy Rush, conta a história de um motorista de fugas de assalto (Grillo), que realiza esses serviços para sanar uma dívida com a máfia da Filadélfia. Enquanto acompanha dois bandidos em um trabalho, ele recebe a ligação de um homem misterioso, que o obrigará a tomar medidas extremas para salvar a si mesmo e botará em cheque não só a sua segurança, mas a de sua família.

O filme apresenta uma série de reviravoltas em um roteiro, no geral, bastante bem amarrado e presta bastante reverência aos chase movies do passado. Outro detalhe que chama a atenção é que o filme se passa quase todo dentro do carro do motorista. A câmera está sempre focada em Grillo, seja em suas reações falando ao telefone com alguém, seja compenetrado em meio a alguma perseguição. Isso acaba gerando um clima semi-claustrofóbico e intimista.

Bastidores do filme: as milhares de câmeras utilizadas para conseguirem dar o clima intimista dentro do veículo

As cenas de ação – quase todas em primeira pessoa, se pensarmos na visão do carro – são muito bem executadas. O que vemos aqui é uma pegada frenética em termos de movimentação e muito mais foco na tensão. Não que seja um filme parado (a fuga da motocicleta ou o “duelo de metralhadoras” são dois bons destaques), mas o filme é, indubitavelmente, um tour de force de Frank Grillo como ator. Um intérprete de menos expressão e carisma não conseguiria levar esse projeto adiante. Mérito também do texto e da direção ágil de Rush, que, aliás, realiza aqui o seu primeiro longa-metragem.

O filme não é perfeito, claro. Infelizmente o final é um pouco anticlimático no que tange a perseguição final, que é quase uma repetição da citada cena da motocicleta e, pelo foco majoritário no protagonista, o misterioso vilão termina sendo jogado para escanteio. Mas no geral, o saldo é positivo.

WHEELMAN está disponível para streaming no Netflix.

 

Gostou do conteúdo? Seja o nosso patrão! Yippee Ki Yay, Motherfucker!

Adicione um comentário

Deixe uma resposta